SERVIÇO DE VERIFICAÇÃO DE ÓBITOS

Apresentação

O Serviço de Verificação de Óbito (SVO) é um Núcleo de Serviços (Necropsias), ligado à Gerência Estratégica de Vigilância em Saúde (GEVS) da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) do Espírito Santo.

O SVO estadual localizado em Vitória (Anexo ao Hospital da Polícia Militar) é referência estadual na realização de necropsias para esclarecimento de óbitos de causa natural não elucidada, em caso de óbito sem assistência médica ou com assistência médica onde a causa morte não foi definida ou mal definida

 

O que fazemos - Função do SVO

 

A missão do SVO é realizar procedimentos de necrópsia para esclarecimento de óbitos de causa natural não elucidada, em caso de óbito sem assistência médica ou com assistência médica onde a causa morte não foi definida ou é mal definida. 

 

Procedimento e finalidade da necropsia

 

É um procedimento realizado por médicos patologistas, com auxílio de técnicos de necropsia, em cadáveres (após devidamente autorizados pelo parente), que foram encaminhados ao SVO para finalidade de elucidação da causa do óbito.

A necropsia consiste do exame externo e interno do corpo, anotações e observações sobre quaisquer aspectos que possam ser encontrados fora do habitual. E também são coletados material de biópsia para análise microscópica posterior, quando houver necessidade, ou sangue e líquor de meninges (Liquor céfalo-raquidiano-LCR) para exames laboratoriais como por exemplo cultura, bacterioscopia e pesquisa de agentes específicos.

Apenas após a avaliação macroscópica de necropsia é possível o preenchimento da Declaração de Óbito pelo médico patologista.

Muitas vezes o diagnóstico da causa do óbito é completamente elucidado durante o procedimento de necropsia, porém o esclarecimento definitivo da causa mortis em muitos casos requer o estudo microscópico subseqüente do material coletado no momento da necropsia.

A confecção de lâminas para análise e elucidação dos casos que não foram definidos apenas com o procedimento de necrópsia é parte integrante dos serviços prestados pelo SVO, e visam ao esclarecimento da causa mortis, bem como elaboração de laudos finalísticos das causas do óbito, a liberação dos laudos, após solicitados, pode levar até 120 dias.

 

Encaminhamento dos casos:

 

Casos que devem ser encaminhados ao SVO

Casos de morte natural (morte súbita, óbitos domiciliares sem assistência médica e não suspeito de causa externa/violenta, óbitos em Pronto Atendimento sem causa conhecida, Casos notificados e/ou em estudo pela vigilância epidemiológica).

 

Morte Natural


Nem todas as mortes naturais por causas indeterminadas, no entanto, são analisadas pelo Serviço de Verificação de Óbito. Se a pessoa era acompanhada por um médico e já possuía diagnóstico bem definido de alguma doença, em caso de morte, o próprio médico que a atendia pode emitir a declaração de óbito, não necessitando do envio do corpo para investigação.

Se a circunstância do óbito for natural, mas a causa for indeterminada, a pessoa pode ter morrido em casa, num hospital ou em via pública que o corpo certamente será encaminhado para o SVO. Dessa forma, o Serviço de Verificação de Óbito desenvolve um trabalho diferente do que é feito pelo Departamento Médico Legal (DML), da Secretaria de Segurança Pública, que investiga mortes por causas externas, como quedas, envenenamentos, homicídios e outras situações de morte violenta ou acidental.

 

Onde estamos:

Endereço: Av. Joubert de Barros, n° 55, Bairro Bento Ferreira, Vitória/ES. CEP: 29050-720

Pontos de Referência: Anexo ao Hospital da Polícia Militar, próximo à Rede Gazeta, Rua lateral do Sam’s Club.

 

Contatos :

Administrativo – 3636-6590

Serviço Social – 3347-5835

Recepção – 3227-7057 e 3347-5834

svo@saude.es.gov.br

svo.asocial@saude.es.gov.br

 

Horário de funcionamento:

Recepção de Corpos: 24h diariamente

Atendimento ao público: 07-19h diariamente

 

Procedimentos para liberação de corpos:

Documentos de identificação com foto do falecido, e do familiar de 1º grau (cônjuge, pais, irmãos, filhos e avós) que autorizará o procedimento de necrópsia a ser realizado. 

Para familiar de 2º grau (netos, tios e sobrinhos, etc.) é necessário complementação com certidão de nascimento para comprovar parentesco. No caso onde não é comprovado o parentesco, o serviço social encaminha o reclamante para obter autorização judicial para liberação dos procedimentos e sepultamento.

Sempre que possível, trazer documentos médicos, exames laboratoriais, ou de imagem, pertinentes à doença do falecido.

No caso de óbitos fetais ou recém-nascidos, é necessário trazer todos os exames pré-natais, inclusive o cartão da gestante e de vacinas, bem como exames de ultrassonografia, quando estiverem disponíveis.

Para os óbitos fetais, as unidades hospitalares devem encaminhar juntamente com o corpo, a placenta para análise.

É importante que a pessoa a vir reclamar o corpo possa fornecer informações acerca dos últimos dias de vida e/ou histórico de saúde do falecido, e nos casos de gestantes, fetos e recém nascidos, o histórico da gestação e parto.

» Encaminhamento de corpos ao SVO

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard